terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Andando com a cachorrada 2



Oi, lembram de mim? Eu sou o Geninho!

Ok, fim da piada anos 80. Vamos ao que interessa: estamos na rua com nosso cão na coleira, passeando alegremente quando surge um cachorro soltinho da silva na rua, latindo e avançando em direção a nós! Céus, cadé o Superômi? O Batchimam? O Róbim? Eh... o Róbim, não, ele provavelmente iria fugir do cachorro... Tranquilidade, é tronks de enfrentar essas situações. Quase toda vez que saio com a Otsu tem um fela desses na rua. Sussa! Primeira coisa: pare de andar. Se continuar andando, ou pior, se correr, o cão da rua pode achar que você está fugindo, que é uma presa suculenta e entrar em modo de caça e aí já era, vai levar mordida (eu e a Otsu já fomos mordicados umas vezes, antes deu saber o que fazer). Parece mágica! O animal furioso que vinha em sua direção como uma flecha provavelmente vai parar e ficar com a maior cara (e rabo) de tacho: "Uai, era pra você fugir, pô! Que que eu faço agora?" Como todos fogem deles, sua expectativa é essa. Se você não foge e mostra que aquele espaço é seu, a maioria dos cães antipáticos vai parar. Alguns vão latir de longe, outros vão latir e avançar com mais cuidado. O negócio é ficar paradão lá, até o figura se virar e sair. E pode ter certeza, ele vai fazer isso. Daí, você escolhe: continua sua vida e vai andar na direção que estava antes ou anda em direção ao cão. O Cesar sugere o nº 2, porque daí você mostra que aquele espaço é seu. Por mim, o importante é fazer o que você se sente seguro pra fazer. O que não é recomendado é fingir que não está acontecendo nada e sair de fininho. Saiba que o outro cachorro vai partir pra cima. Se durante o acontecido, o seu cão ficar agitado ou mesmo agressivo, corrija-o. Ele não pode ficar agressivo. A ideia não é "peitar" o outro cão como quem diz "vem, vem que eu te arrebento!" Mas dizer "Ó, a rua é de todo mundo, eu quero e vou passar por aqui a hora que eu quiser. Tô nem aí pra ti, não vou te machucar, mas também não vou recuar. Vá cuidar da sua vida."

Dá certo, viu?! Agora, outra coisa que também não pode esquecer de fazer: recolher o cocô do seu bicho se ele fizer na rua. Ensinei a Otsu a fazer xixi e cocô na rua (pois morávamos em apartamento), então é só sentir o cheiro do asfalto que ela bota pra querbrar. Daí, visto uma sacola de supermercado biodegradável na mão, pego os presentinhos, fecho a sacola, coloco a embalagem em alguma lixeira e pronto! Ninguém vai chegar em casa fedendo merda de cachorro, tendo que limpar sola de tênis com escova de dente e palitinho...

Bem, tenho outras informações e dicas pra compartilhar. Se você, leitor(a) amigo(a), tiver alguma dúvida específica, escreva pra gente! Daí eu vejo se consigo responder e tals.

2 comentários:

  1. Continue nos dando dicas boas,como essa..sempre fiquei sem saber o que fazer quando vejo um cão de rua vindo em minha direção.Agora já sei:paro e olho pra ele,uai...e depois,quando ele se mandar,vou continuar no meu caminho...beijos aprendizes.

    ResponderExcluir
  2. eu nunca fujo de um cão porque por instinto é esse o conhecimento que tenho. Mas me diga: vale para gente também?

    ResponderExcluir